Este pêlo branco

Aqui, nesta montanha batem os primeiros matinais raios de sol e quando este desce e se apresenta o luar tem-se a sensação de que nada se apresentou diferente do que já foi, do que é ou que poderá vir a ser. Não espere nada, nem deslumbramento nem desilusão, não é essa a brancura que se pretende.
Anseie o nulo para que atinja o supremo início do tudo de novo.
Muito gosto,
Cabra Branca.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

por-me em-ti (cont.)



Os mais de mil beijos apressados, medo que lhes fossem roubados, os corações atormentados num reboliço tão cobiçado. Tão apertados... emaranhados, ela sobe, sobe por ele, um corpo alto em físico latejado, sobe por ele e enrola as suas pernas. Obstinados nas bocas que beijam excitados e despem. Despem a pouca roupa, rasgam os medos como quem arranca a pele e nasce ali um todo querer num tudo ambicionado. E anda ele, pequenos passos com ela pendurada, ela amada. E mais longe não será, e é tão real, tão contente numa queda boa, sobre um perfeito corpo anunciado, num colchão sonhado. Caí sobre ela, na cama larga o peso do seu corpo entesado. (continua)

8 comentários:

  1. Estes últimos textos são de primeira linha... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Pedro,
      Beijo de primeira linha em ti!

      Eliminar
  2. escolhes as palavras a dedo, muito bem ;)

    bj doce

    ResponderEliminar
  3. Como eu gosto de te ler!!!

    Beijocas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como eu gosto de visitar o teu espaço...

      Obrigada Enigma, um beijo em ti

      Eliminar
  4. Vejo que o regresso foi a toda a força.
    Que bom :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. SKIN n UNDER, espero conseguir continuar :)

      Obrigada por tão lustre visita,
      Beijo

      Eliminar