Este pêlo branco

Aqui, nesta montanha batem os primeiros matinais raios de sol e quando este desce e se apresenta o luar tem-se a sensação de que nada se apresentou diferente do que já foi, do que é ou que poderá vir a ser. Não espere nada, nem deslumbramento nem desilusão, não é essa a brancura que se pretende.
Anseie o nulo para que atinja o supremo início do tudo de novo.
Muito gosto,
Cabra Branca.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Gozem...


muito mais há a fazer... emÁGUAS vivas

6 comentários:

  1. Water, tão bons os teus mimos neste pêlo de Cabra...


    Fogo, fogo por apareceres, ainda bem que vens aqui, fico queimada de prazer...


    Apolo, a vida é para ser vivida, não é assim?

    ResponderEliminar
  2. Não sei o que serão essas água que te referes... mas acredito que, contigo estarei seguro! :)
    Belas e fortes imagens!

    ResponderEliminar
  3. Vulcano tens de tocar onde diz águas vivas!!!
    beijo

    ResponderEliminar