Este pêlo branco

Aqui, nesta montanha batem os primeiros matinais raios de sol e quando este desce e se apresenta o luar tem-se a sensação de que nada se apresentou diferente do que já foi, do que é ou que poderá vir a ser. Não espere nada, nem deslumbramento nem desilusão, não é essa a brancura que se pretende.
Anseie o nulo para que atinja o supremo início do tudo de novo.
Muito gosto,
Cabra Branca.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

tirAR


Não sei quem és, chegas a mim, sem hora, sem tempo, mesmo sem prazo, vens e entras sem chave, não há chaves nem porta afinal e ofereceste a mim, sem querer saber qual condição, sem razão, sem vontade ou em gratidão, pouco importa, empurras a porta que não existe, nem janelas há, e tu és uma corrente de ar sem bloqueios nem passeios, uma aragem arejada, sem lamentos preconceitos, sem jeitos em arabesco, és fresco ar que desliza no que encontras, numa figura que é corpo. Hoje és moreno, amanhã serás gordo, ontem misterioso, antes sedutor, terás barba, serás cheiroso. E que importa, que acarreta? dás-te a cem e sem nãos, sem porquês ou porque não, tuas mãos eu quero assim, como nunca conheci, sem linhas em reticência, aspas crespas, virgulas convertidas sem razão, sem pensar em interrogação, quero-te uma canção. Pouco alterado, original e esguio, hasteado sem fio, alheado, um pouco atrapalhado, talvez até assustado, mas quero-te afinal, talvez um pouco louco, louro e magrela, sedento ou até corpulento, como o tal vento... E nada sei de ti, nem espero que saias a mim, deste-te assim, em físico alteado, risco de sabor alcançado, quase claro partilhado e agora rasga, mete-me a nu como tu, solta, rota, translúcida e vaga, envia-me a tal carta, mas agora que cá estás, anda não olhes para trás a porta não está lá, e pouco importa. E janelas? Janelas não as há!



20 comentários:

  1. Desculpa não ser original, mas nada tenho para dizer além disto.
    Texto fantástico, como habitual.

    Beijinho,
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não vou ser muito original, quando volto a dizer que gosto muito de te ver por aqui Ana.

      Obrigada
      Beijo

      Eliminar
  2. De tirAR realmente o AR...

    Beijos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos de RespirAR sempre e ir sempre em frente!

      Beijo

      Eliminar
  3. E ficamos assim a imaginar como será... o outro do outro lado que trocando linhas e cartas.. ideias de locais reais.. forma de estar e movimentos comuns.. nos preenche ao mesmo tempo que nos deixa.. nos invade enquanto nos larga.. ;)

    ResponderEliminar
  4. eu sou o amanhã, yupiiiiiiiiiiiii!!!! :)

    Beijo grande, adorei o texto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijo GORDINHO ;)

      Gosto de te saber por aqui

      Eliminar
  5. Este blog deu uma grande cambalhota. Mas não consigo dizer que tenha sido para pior. Ainda estou na fase de estranhar mas quase quase a entranhar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Skin, tens de explicar essa cambalhota, porque não chego lá só por tuas palavras escritas. Vem explicar-me,

      Beijo MY Skin

      Eliminar
  6. Cabra Branca... Talvez esse desejo que sente... seja acicatado por alguém que te seja próximo... e ''materializado'' numa pessoa anónima que vai ao encontro do sentimento que temos. É bom prestar atenção aos que nos rodeiam... e de alguma forma concretizar... algo... partilhar um sentimento.
    Palavras minhas... palavras soltas.
    Beijo em ti.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OM estás lá! E não digo mais nada.

      Beijo-te

      Eliminar
  7. A Cabra permite-me que entre, ainda que fora de horas ou a horas inconvenientes, por ser altura de almoçar?

    A porta entreaberta encontrei, e um burburinho escutei, já cá havia gente a marralhar, mas Dear zé preferiu perguntar.

    Minha doce e branca Cabra, de quem nada é de esperar, seja ao nascer ou ao luar, a tal carta queres que Dear Zé te vá mandar?

    :))

    Belo espaço! Verdejante escrita!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dear Zé, voltas-te!

      Há sempre um Zé que vai e outro que regressa, bem vindo.

      Beijo
      Adorei o comentário, sempre a teu jeito :)

      Eliminar
  8. Que a carta tenha chegado ao destino..pois tudo o resto não existe ou existe? Beijooooooooooo (43º):)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existe em algumas cabeças portadoras de imaginação muito fértil....



      ;) BEIJO

      Eliminar