Este pêlo branco

Aqui, nesta montanha batem os primeiros matinais raios de sol e quando este desce e se apresenta o luar tem-se a sensação de que nada se apresentou diferente do que já foi, do que é ou que poderá vir a ser. Não espere nada, nem deslumbramento nem desilusão, não é essa a brancura que se pretende.
Anseie o nulo para que atinja o supremo início do tudo de novo.
Muito gosto,
Cabra Branca.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Desasso*Cego

Quando me pus a pensar...

O pensamento é um gajo que nos deitar a baixo em segundos quando doloroso ou faz-nos sorrir em menos que isso aquando agradável. Tira-nos o sono nas maiores tusas de alegria ou nas mesmo que pequenas quedas de infelicidade. Interrogações, desespero nos dilemas de pensar é a morte! O pensamento cega a calma, desassossega o mais tranquilo estar! Onde se desliga?

15 comentários:

  1. Não se desliga, atenua-se...

    Beijo do OVO

    ResponderEliminar
  2. o pensamento é uma faca de dois gumes, capaz de nos fazer muito bem como de nos deitarem logo a seguir abaixo. É a eles que recorro - aos bons - quando a vida me parece querer atirar abaixo, quando a tristeza me invade, como por vezes nos faz tomar duvidas por certezas que nos iludem e nos deixam tristes. É preciso um enorme equilíbrio em relação aos pensamentos, pelo que devemos ter sempre à mão aqueles que nos desenham um esgar de saudade ou um sorriso na face.

    ResponderEliminar
  3. o problema é sempre esse...liga fácil e nunca sabemos onde desligar.
    eu, simplesmente, adoro seu blog.
    caixadaduda.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Querido P`lo OVO, atenua-se... muito bem! :-)

    Vontade de, é? Pois é! Sinal que estamos vivos!!!

    Debo, quando se desligar é o fim...

    Miguel B saber gerir é fod..! Mas pensamento é desenvolvimento.

    Duda, obrigada por gostares desta montanha:-) Vou visitar a tua caixa. Beijo

    ResponderEliminar
  5. Diria que para não pensar o melhor é mesmo ler Caeiro... Não nos sentimos tão sozinhas nesse estado...

    Beijo-a (sem pensar também...)

    ResponderEliminar
  6. Não é para desligar, é para sentir e vibrar.

    ResponderEliminar
  7. Desligado nunca. O tempo e a experiencia moldam-nos a maneira de usa-lo. O truque é simples: Em fases negativas pensar em coisas positivas e em momento de euforia assentar os pés na terra. É sempre na fusão dos opostos que está o equilibrio.

    A anestesia só esconde a dor. Há coisa mais interessante do que nos sentir-mos vivos?

    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Não se desliga, mas pode-se abafar quase completamente: vendo muita TV, não lendo, etc.
    Mas porquê o desejo de desligar, se o cérebro - que produz o pensamento - é a zona mais erógena do corpo?

    ResponderEliminar
  9. Desejo Evidente, é evidente que sim! :-) Sucesso para o teu novo Blogue. Beijo

    Don Meu "Dom", és uma mina de inspiração para mim, se és... Obrigada, beijo.

    Jaime Piedade Valente, não vejo TV, deve de ser esse o problema, devo de ser das raras pessoas que não liga a TV. Logo usufruo demasiado do pensamento. Beijo

    ResponderEliminar
  10. Pois: em 5 minutos nem a mãezinha manda neles e depois precisam de nós...

    ResponderEliminar
  11. Desliga-se quando se deixa entrar o sono, mas apenas para chamar o sonho, que é um pensar subconsciente.

    ResponderEliminar